Casa Ferreirinha Antonia Adelaide Ferreira Tinto 2014

Portugal / Douro

Uma especialidade da Casa Ferreirinha que celebra todo o contributo de D.Antónia Adelaide Ferreira ao vinho e à região do Douro. Uma edição limitada que merece ser saboreada com calma, deixando sobressair o seu aroma de grande intensidade e excelente complexidade

Uva
  • Touriga Nacional (40%)
  • Touriga Franca (40%)
  • Vinhas velhas (15%)
Região Douro
Volume 75cl
País Portugal
Teor alcoólico 14%
88,99 €
 

Entrega em até 48 horas em Portugal Continental, após a expedição confirmada

Portes grátis acima de €39,99 em Portugal Continental

Tipo de vedante: Rolha Capacidade da garrafa (cl): 75
Família: Vinho Classificado Tipo: Vinho Tranquilo
Sub-família: Tinto Variedade: Blend
Ref. Qualidade: DOC Produtor: Sogrape
Marca: Antónia Adelaide Ferreira País: Portugal
Região: Douro Graduação alcoolica: 14%
Amadurecimento: Terminada a maceração o vinho foi transportado para Vila Nova de Gaia onde, após as fermentações de acabamento, se seguiu a maturação ou «elevage» durante cerca de dois anos em tonéis de carvalho Francês. O lote final foi elaborado com base numa selecção muito apurada, após inúmeras provas que permitem confirmar a excelência dos vinhos e da sua maturação Temperatura de consumo: 16-18º
Alergénios: Sulfitos Enólogos: Luís Sottomayor
Nota de prova - Cor: Cor rubi profunda Nota de prova - Aroma: Aroma de grande intensidade e complexidade. Destacam-se aromas de frutos pretos e vermelhos bem maduros, notas de resina e apontamentos minerais. Revela notas de especiarias como a pimenta e o gengibre, ligeiro cacau, e uma madeira de excelente qualidade muito bem integrada
Nota de prova - Sabor: Na boca demonstra uma grande estrutura, taninos polidos e de grande qualidade e uma acidez bem integrada. Aromas de fruta vermelha, notas minerais e especiarias completam a prova com um final extremamente longo e complexo Vindima/Vinificação: Chegadas à adega da Quinta da Leda e Quinta do Seixo, após suave esmagamento e desengace total, as uvas fermentaram em cubas de aço inoxidável com temperatura controlada. Durante esta fermentação, procedeu-se a remontagens por bomba e pisa por robot, realizando-se uma longa maceração para conseguir uma equilibrada extracção aromática e polifenólica. Pretende-se com esta tecnologia que os constituintes da qualidade presentes nas películas nas uvas maduras passem assim suavemente para o vinho. No final, e no momento «exigido» por cada casta/lote, o vinho foi encubado e as suas massas prensadas, sendo o vinho resultante da prensagem conservado à parte do de lágrima
Escreva a sua própria avaliação
Escreva sua avaliação